Uma empresa possui diversas contas que têm prazos de pagamentos distintos. O controle desse processo é essencial para que se tenha recursos suficientes para arcar com essas despesas dentro dos prazos corretos e, assim, manter o bom funcionamento do negócio. Para isso, é usado o plano de contas.

Quer entender um pouco mais sobre o que é esse plano de contas e como elaborar um na sua empresa? Então, não deixe de acompanhar os próximos tópicos e, assim, melhorar a sua gestão!

Qual a importância do plano de contas?

De uma maneira geral, esse planejamento das contas é essencial para orientar a gestão econômico-financeira de qualquer negócio — independentemente, do seu porte: microempreendedor individual, pequena, médio e grande empresa. Isso acontece, porque guia todo o trabalho contábil da companhia.

Além de dar assistência aos gestores administrativo-financeiros e controlar o que tem a pagar e receber, esse plano de contas também tem papel importante na elaboração e divulgação dos demonstrativos contábeis, o que ajuda a cumprir as determinações legais e a manter o negócio em bom funcionamento.

Quais as diferença entre plano de contas contábeis e plano de contas gerenciais?

Ao tratar das contas de uma empresa, temos dois modelos que devem ser trabalhados. O plano de contas contábeis leva em consideração as exigências legais, como determina a Lei 6.404/76, e os Princípios Fundamentais de Contabilidade. Esse planejamento orientará a montagem do balanço patrimonial da empresa.

Como o Plano de contas contábeis leva em consideração apenas as exigências legais, muitas vezes não compreende todas as necessidades organizacionais da empresa. Para contornar isso, é criado também o plano de contas gerenciais de modo que consiga analisar os resultados econômicos, financeiros e patrimoniais do negócio.

Como montar um plano de contas?

Em um plano de contas deve ser registrado todos os valores positivos e negativos da empresa, assim como as receitas e despesas — tudo de maneira bastante detalhada para garantir um análise fiel da situação econômica do negócio. Assim, os números devem ser registrados do grupo maior para o grupo menor.

Dessa forma, podemos estruturar o Plano de contas em quatro grupos. Vejamos:

  • ativo;
  • passivo;
  • receitas;
  • despesas.

Tendo esses quatro grupos separados e identificados, será necessário criar em cada um deles as chamadas contas sintéticas. Será nesses subgrupos que você irá detalhar todas as suas contas, registrar as movimentações financeiras e controlar a saúde econômica da sua companhia sem grandes dificuldades.

Com isso, qualquer empresário consegue ampliar o nível de detalhamento das suas contas de modo que possa prever e trabalhar as despesas e receitas para garantir o pagamento dos compromissos mensais e, ainda, atender as exigências legais.

Agora que você sabe a importância de um plano de contas e como desenvolver um para a sua empresa, está na hora de adaptar o seu modelo gerencial e colher os frutos de uma boa administração. Não perca tempo e coloque em prática já!

Gostou deste artigo sobre o plano de contas da empresa? Siga a nossa página no Facebook e o nosso perfil no Twitter e receba outros conteúdos importantes!