Diante de tantas inovações e metodologias mais modernas de trabalho, o mercado está cada dia mais competitivo. Nesse contexto, as organizações têm a necessidade de proteger ao máximo os seus dados e segredos industriais.

Além de significar uma queda significativa na posição da marca no mercado, ter seus segredos revelados traz à empresa o risco de seus concorrentes ficarem a par dos seus produtos e processos internos. E, muitas vezes, isso pode ser irreversível para o negócio.

Uma tática para resolver isso é estabelecer um contrato de confidencialidade com seus parceiros e colaboradores. Quer saber como ele funciona? Então continue a leitura e confira as suas vantagens para a empresa!

O que é e como funciona o contrato de confidencialidade?

Basicamente, trata-se de um documento com valor jurídico que pode ser usado quando duas ou mais partes querem manter sigilo das informações da empresa, evitando o vazamento de dados e problemas como a espionagem industrial.

O termo antecede não somente acontecimentos estratégicos — como parcerias comerciais, admissões de novos empregados e apresentação de novos produtos — mas também fatos cotidianos das organizações, como cotação junto a fornecedores e contratação de serviços terceirizados.

Vale ressaltar, no entanto, que a atenção dada ao contrato deve ser a mesma em qualquer uma dessas situações. Sua importância está associada a dados sensíveis, metodologias estratégicas da empresa e a proteção de informações críticas, seja como for.

Quem pode fazer um acordo?

O contrato pode ser utilizado em várias situações distintas, seja por uma organização, uma pessoa ou mesmo de uma empresa para outra. As possibilidades são:

  • uma empresa e um empregado;

  • duas ou mais empresas;

  • startup e investidor;

  • uma empresa e um prestador de serviços.

Quais são as suas vantagens?

A principal vantagem de se elaborar esse tipo de contrato é disponibilizar mais segurança para todas as partes envolvidas sobre informações de parceria, de algum projeto, de patentes etc., aumentando a confiança durante as relações comerciais.

É bom ressaltar que esse contrato não impede totalmente o vazamento dessas informações. Porém, desde o instante em que estabelece penalidades para os que o descumprirem (como a previsão de multas, perda de direitos ou patentes etc.), ele garante que as partes estarão protegidas legalmente quanto a qualquer divulgação de dados.

Outro ponto importante é que, quando bem elaborado, um acordo de confidencialidade facilita bastante o ganho de causa no caso de ações judiciais referentes à sua quebra — além, é claro, de demonstrar mais compromisso e profissionalismo entre as partes incluídas.

Em síntese, podemos ver que o contrato de confidencialidade gera muito benefícios para a empresa se feito da forma correta. Agora, independentemente do tipo de acordo a ser elaborado, é fundamental consultar um bom profissional para orientar todo o procedimento e elucidar os cuidados que devem ser tomados para preservar os segredos da organização.

E então, o que você achou do nosso post? Ele foi útil para você? Então aproveite para compartilhá-lo nas redes sociais e ajude também os seus amigos a conhecer mais sobre o assunto!